Apesar da enorme experiência europeia, os dois clubes nunca se tinham encontrado nas provas da UEFA antes da terceira jornada da fase de grupos da Liga Europa, da qual resultou a vitória do Arsenal em Alvalade, por 1-0.

No entanto, já tinham medido forças na segunda eliminatória da Taça das Cidades com Feira de 1969/70 e o Arsenal triunfou por 3-0 (0-0 fora, 3-0 em casa) a caminho da conquista do troféu.

Aliás, contas feitas, os 22 encontros do Sporting com clubes ingleses resultaram em nove vitórias e dez derrotas. O clube de Lisboa ganhou apenas duas vezes em 11 visitas a Terras de Sua Majestade (dois empates e sete derrotas) e não venceu nenhum dos últimos seis desafios no país (um empate e cinco derrotas).

O Sporting ‘sorriu’ com o triunfo em Inglaterra quando defrontou o Southampton, na 1.ª mão da 2.ª eliminatória da Taça UEFA na época de 1981/82 (4-2) e, mais recentemente, diante do Middlesbrough, na temporada de 2004/05, num percurso que conduziu os leões até à final da Taça UEFA… era José Peseiro o treinador.

O cartão de visita do emblema lisboeta em solo britânico não é o melhor, mas há jogadores que ‘sorriem’ nas deslocações ao Emirates Stadium. Nani somou quatro triunfos e marcou um golo sensacional pelo Manchester United aos gunners num memorável triunfo por 8-2, em Old Trafford, em Agosto de 2011. Já Coates visitou a casa do Arsenal por três ocasiões, na condição de jogador do Sunderland, tendo empatado uma das vezes (sem sofrer golos).

Apesar do antepassado das equipas portuguesas no Emirates Stadium ser assustador, com cinco visitas ao reduto dos gunners, nas quais a ‘derrota’ foi o resultado mais comum (4 vezes), o Sporting pode colocar os olhos da ambição no Benfica, que na época de 1991/92 venceram, após prolongamento (3-1), com um bis de Isaías e um golo de Vasili Kulkov, num duelo relativo à 2.ª mão da 2.ª eliminatória da Taça dos Campeões Europeus.