Acuña tem sido outro jogador influente do Sporting, o que acaba por dar razão ao esforço feito pela SAD para o segurar na última janela de mercado.

O Zenit fez de tudo para assegurar a sua contratação, mas esbarrou no intransigente valor pedido pelos leões: 20 milhões de euros, pagos a pronto. Porém, em resposta, a melhor proposta recebida foram 16 M€, mais 2 M€, mediante o cumprimento de objetivos.

Apesar da resistência ao assédio, Acuña deverá voltar a ser alvo no mercado de verão, desde logo do Zenit e de outros emblemas europeus (o Boca Juniors tem interesse mas El Huevo não quer voltar já à América do Sul).

O facto de ser um dos jogadores mais utilizados, aliado às boas exibições, deve manter bem alto o preço exigido pelos leões.