Miguel Albuquerque, diretor para as modalidades do Sporting, esclareceu este domingo os incidentes ontem reportados, em comunicado, pelo emblema de Alvalade, que davam conta de que teria sido atacado, por adeptos do FC Porto, no Dragão Caixa, durante a partida de hóquei entre portistas e verde e brancos.

Explicando os incidentes, o dirigente verde e branco acusa José Magalhães, diretor do Andebol do FC Porto, e Adelino Caldeira, administrador da SAD portista, de serem responsáveis pelos incidentes ocorridos na tribuna.

Explicando que a sua esposa foi alvo de uma tentativa de agressão, Albuquerque questiona ainda o facto de no local reservado ao Sporting não estar presente um único Assistente de Recinto Desportivo (ARD), dizendo ainda que Adelino Caldeira tentou afastar o agressor para que este não pudesse ser identificado pelas forças de autoridade. “Identifique o agressor pois pela pressa com que o tirou daquela zona para não ser identificado deve ser um seu conhecido!”, escreve o dirigente verde e branco.

Miguel Albuquerque vai ainda mais longe e, admitindo que Caldeira, no momento, pediu desculpa de forma presencial, explica que, até ao momento, ainda não recebeu qualquer pedido de desculpas institucional pelo sucedido.

Por fim, Albuquerque questiona ainda o facto de o presidente da Federação Hóquei não ter marcado presença neste encontro, uma vez que a partida opunha o primeiro e segundo classificados do campeonato nacional.

Confira o comunicado que o dirigente leonino publicou na sua conta pessoal na rede social Facebook.