O relatório e contas de 2012/13 enviado pela SAD do Sporting à CMVM, atualiza, igualmente, os valores despendidos na contratação de jogadores entre eles estão Elias, Labyad, Rojo e Jefferson.

O custo anunciado em agosto de 2011 pela aquisição de Elias foi de 8,85 milhões de euros, um recorde na história do Sporting. Agora, o total de encargos reconhecido pela SAD ascende a 11,15 milhões de euros, ou seja mais 2,3 milhões do que há dois anos. Uma discrepância que ficará a dever-se a rubricas como serviços de intermediação ou prémios de assinatura.

O marroquino Zakaria Labyad representou um investimento pesado para o Sporting no momento em que foi contratado. Aos 900 mil euros já conhecidos, pagos ao PSV Eindhoven, acresceram 2,610 milhões. Este último valor, de acordo com o relatório e contas enviado sábado à CMVM, “deve-se a gastos inerentes à aquisição do jogador”.

Os leões, que ficaram na altura com 70’% do passe do jovem, de 20 anos, venderam praticamente no imediato 35% à Doyen Sports, por 1,5 milhões de euros, ficando o Sporting com igual percentagem.

A aquisição de Marcos Rojo custou mais 1,4 milhões que o milhão de euros anunciado na altura da contratação. De acordo com a informação divulgada no relatório de contas do último exercício, o valor global da aquisição do defesa ao Spartak de Moscovo chegou aos 5,4 milhões de euros, três dos quais avançados pelo Doyen Sports Investments, um fundo de investimento que detém, assim, 75% dos direitos económicos do internacional argentino.

Mais, o Sporting terá de entregar mais um milhão de euros ao Doyen no mês de outubro, a troco de mais 25% dos direitos económicos.

A contratação de Jefferson ao Estoril foi noticiada como tendo custado 400 mil euros aos cofres do Sporting, mas a informação divulgada no relatório anual das contas da SAD revela que a aquisição do lateral-esquerdo foi mais dispendiosa: os leões pagaram 700 mil euros pela aquisição dos seus direitos desportivos.

Neste mesmo contexto, o investimento em Pranjic foi afinal de 1,08 milhões de euros.

No mesmo relatório e contas de 2012/13 enviado pela SAD do Sporting à CMVM, o antigo administrador da SAD Luís Duque recebeu 102 500 euros no momento da cessação de funções mas relatório revela que ainda há o dobro da verba por pagar.

A Sporting, SAD deve 205 mil euros a Luís Duque, antigo administrador executivo da sociedade, durante a gestão de Godinho Lopes. A informação consta do relatório de contas relativo ao último exercício, que deixa bem claro o saldo pendente com o ex-administrador.

Segundo a redação do documento, Duque recebeu 102 500 euros quando cessou funções como administrador executivo, mas a SAD reconhece dever-lhe o dobro desse montante.

Sporting pagou mais por alguns jogadores contratados