O Sporting parte para os Campeonatos Nacionais de Estrada de atletismo com a firme determinação de revalidar os títulos conquistados no ano passado, precisamente no mesmo local, Oeiras, com partida e chegada no Estádio Nacional.

Os ‘leões’ vão defender o título, em masculinos e femininos, no próximo sábado, 12 de janeiro, na 26.ª edição destes campeonatos.

Em masculinos, a de 2018 foi apenas a segunda vitória do Sporting, que apenas tinha triunfado na edição inaugural, que se realizou em Lisboa, no Campo Grande. A equipa que mais vezes triunfou neste Nacional foi a Conforlimpa, com 11 títulos. Em femininos, tratou-se também do segundo triunfo ‘leonino’, mas estes consecutivos. O Maratona, com 13 triunfos, é o clube que mais vezes ganhou entre as mulheres, com 13 títulos.

Em termos individuais, o retirado Eduardo Henriques, com cinco vitórias, é o principal triunfador, enquanto, em femininos, há duas atletas também com cinco títulos, Dulce Félix e Inês Monteiro, mas nenhuma delas estará presente na prova.

Pelo Benfica, em seniores, apenas estarão Rui Pinto (terceiro no ano passado) e Miguel Borges, que terão pela frente um grupo de sportinguistas liderados por Rui Pedro Silva, três vezes campeão, e Licínio Pimentel, uma vez campeão, sendo os únicos que poderão aumentar o seu pecúlio. Mas os ‘leões’ contam ainda com Andralino Furtado, vencedor do GP Natal, entre outros, o que deixa confiante Nogueira da Costa, técnico de meio-fundo dos ‘leões’.

“O Sporting assume o favoritismo, mas porque essa é uma das provas que o clube tem como uma das principais para os meio-fundistas, e os nossos atletas estão preparados para encarar a competição com seriedade, competência e vontade e estão preparados para competir ao mais alto nível”, disse o técnico à agência Lusa, sem querer pensar na presença ou não dos seus principais adversários.

Ausente o Benfica, as equipas do Sporting de Braga, São Salvador do Campo, onde pontifica António Pedro Rocha, recente vencedor da São Silvestre do Porto, Escola de Atletismo de Coimbra e Maia surgem como candidatas ao pódio, em masculinos, enquanto em femininos as formações do Recreio de Águeda, Grecas e Sporting de Braga (que nos tempos áureos venceu a prova cinco vezes) são as mais apetrechadas para subir ao pódio.

Nem todos os atletas do Sporting estão na lista de inscrições, mas a equipa feminina tem elementos fortes, como Sara Moreira, vice-campeã no ano passado e que já venceu em três ocasiões, Catarina Ribeiro, Susana Godinho, Ana Mafalda Ferreira, Sandra Teixeira e Daniela Cunha, entre outras. As ausências mais notadas são as de Jessica Augusto, Salomé Rocha e Inês Monteiro.

“No princípio de fevereiro temos a defesa dos nossos títulos europeus em corta-mato. Assim, desde há três anos, temos duas provas importantes para a observação dos nossos atletas, este campeonato e uma prova de corta-mato em Espanha, que este ano será em Sevilha, no crosse Italica, daqui por uma semana. Há uma gestão de participação dos nossos atletas nessas duas competições”, disse o técnico sportinguista.

A competição de sábado terá a primeira partida (campeonato feminino) às 14:30, seguindo-se a partida do desporto adaptado (14:35), do campeonato masculino e da prova aberta (14:45).