Rafael Leão estreou-se esta temporada com a camisola da equipa principal do Sporting e logo com um golo no jogo da Taça de Portugal frente ao ARC Oleiros. Em entrevista ao site brasileiro Goal, o jovem de 18 anos agradece todo o apoio que tem tido quer do treinador Jorge Jesus quer de toda a estrutura do Sporting.

“Sei que tenho muito para aprender e que a minha atitude, o meu empenho e o meu compromisso são partes fundamentais para que consiga atingir o sonho de me afirmar. Ainda sou jovem e não tenho pressa. Tenho, sim, uma grande vontade de evoluir e estou no lugar certo. Trabalho com seriedade e sem deslumbramentos”, começa por dizer Rafael Leão.

“O treinador [Jorge Jesus] e toda a estrutura do Sporting dão-me apoio, os meus companheiros mais experientes também me dão muitos conselhos, que tento seguir. Eles são todos segundos pais, irmãos e primos”, acrescentou.

O jovem recorda também a importância que os treinadores da formação tiveram no seu crescimento até à chegada ao plantel principal do Sporting, deixando ainda a certeza de que os jovens jogadores têm de manter os pés bem assentes na terra.

“Há muitos casos em que as coisas não correram bem para outros jovens, e eu não quero entrar nessa estatística. Não é por já ter jogado na equipa principal que penso que sei tudo. Aliás, ainda não sei nada. Tenho mesmo muito para crescer ainda, é o início de um sonho. Dou graças a Deus pela possibilidade que o Jorge Jesus me deu de estar com o plantel principal, mas também não posso esquecer os treinadores que tive na formação, como o João Couto, o Tiago Fernandes e o Luís Martins. Todos foram importantes”, afirmou Rafael Leão.

Aos 18 anos, Rafael Leão já se estreou na equipa principal, já marcou ao FC Porto e já participou nas competições europeias. Apesar disso, o avançado garante que ainda não provou nada e tem muito para aprender.

“Marquei o primeiro golo na equipa principal num jogo da Taça de Portugal, marquei o meu primeiro golo na I Liga frente ao FC Porto, fiz a minha estreia em competições europeias com 18 anos… Estou muito feliz, mas consciente que ainda não provei nada. Tenho muito para aprender e evoluir. Serei aquilo em que o trabalho me transformar. É muito cedo para dizer o que serei. Tenho é vontade de ser um profissional exemplar, que vai trabalhar sempre muito forte e dar ouvidos a quem tem sucesso”, referiu o jovem antes de indicar quais as suas referências no panorama futebolístico.

“Gosto muito do Bas Dost, que fala muito comigo nos treinos e me dá muitos conselhos. Aprendo muito com ele no momento de fazer golos. O Gelson Martins também é uma referência. Faz coisas incríveis com a bola nos pés. Tento ir buscar um pouco dos dois para melhorar o que faço. Mas, para mim, o melhor do mundo é o Cristiano Ronaldo, que fez um percurso de sucesso com muito trabalho e, assim como eu, nasceu na Academia do Sporting. É um exemplo a seguir”, concluiu Rafael Leão.