De acordo com o jornal Record desta quinta-feira, Carlos Pinho, presidente do Arouca, arrisca-se a uma suspensão mínima de 19 meses e Bruno de Carvalho a uma suspensão de quatro meses, na sequência do ‘caso do túnel’.

Ao que tudo indica, a Comissão de Instrutores da Liga acusa Carlos Pinho de seis infrações – por incitamento à indisciplina, agressão, inobservância e três infrações por lesão da honra e reputação -, enquanto o presidente do Sporting é acusado de lesão de honra e reputação, por alegadamente ter atirado fumo do cigarro eletrónico para a cara do presidente do Arouca.

Joel Pinho, diretor desportivo do clube e filho de Carlos Pinho, arrisca-se a uma punição de quatro meses a quatro anos, por lesão da honra e reputação.

Neste sentido, após as propostas da Comissão de Instrutores, resta ao Conselho de Disciplina de Federação Portuguesa de Futebol analisar e decidir quanto aos castigos.