Marcelo Boeck, habitual suplente de Rui Patrício na luta pela baliza do Sporting, teve a possibilidade de sair durante o defeso, segundo o seu empresário António Araújo ao Record.

«Ele pouco jogou em dois anos. Os grandes clubes procuram guarda-redes com ritmo. Sair para uma equipa de menor expressão ou esconder-se num campeonato de menor visibilidade só por razões financeiras não era o que ele pretendia»

O jogador teve mesmo «três propostas para sair», mas que «não foram de agrado total» pela conjuntura em que se inseriam, daí que o guardião tenha permanecido em Alvalade, mesmo sabendo que continuaria a ser a sombra de Rui Patrício.

Chegado ao Sporting em 2011 vindo do Marítimo, Marcelo Boeck, de 28 anos, cumpriu 13 encontros na baliza leonina, embora seja uma das figuras da equipa aos olhos dos adeptos, pela forma entusiástica e compenetrada com que se apresenta muitas das vezes no banco de suplentes.