O ciclista italiano Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), segundo classificado da geral, acusou esta quinta-feira o português Amaro Antunes (W52-FC Porto) de o ter atirado contra as grades, com o terceiro classificado a recusar justificar o seu gesto.

“O Amaro tentou empurrar-me contra as barreiras. Ontem [quarta-feira], quando vi a televisão, percebi que o Raúl [Alarcón] não teve intenção de cortar-me a trajetória [em Santa Luzia], mas hoje vi que o Amaro me viu”, criticou Nocentini.

Confrontado com as declarações do italiano, Antunes, que no final da quinta etapa também deu um safanão no camisola da juventude, o letão Krists Neilands (Israel Cycling Team), disparou: “Nada, não quero dizer nada. Não tenho nada a dizer”.

O algarvio é terceiro classificado, a 30 segundos do camisola amarela, o seu colega espanhol Raúl Alarcón, com Nocentini a ocupar a segunda posição, a 24.