De clube que “estava ali” para “líder absoluto” por Gustavo Brás

Algumas pessoas partilharam nas redes sociais uma curiosidade bastante interessante. Tratava-se de uma comparação entre esta época e a época anterior, relativamente a pontuação, golos marcados e golos sofridos do Sporting. Percebi que se tratava de uma comparação clara entre Marco Silva e Jorge Jesus. O Sporting não existe só desde o ano passado nem desde a época de Leonardo Jardim, mas realmente parece que nem sequer competia antes disso. De facto, o que aconteceu desportivamente ao Sporting especialmente entre 2008 e 2013 foi vergonhoso. Isto agradava a muitos e não é preciso dizer quem. Dirigentes incompetentes e péssimos treinadores foram habituando o Sporting a ser um clube que “estava ali” só para complicar as contas do título. Era urgente a chegada de um grupo de pessoas com capacidade de levantar o Sporting e trazê-lo de novo ao seu lugar normal de candidato ao título. Hoje podemos dizer que o Sporting é candidato ao título e para já é também líder absolulo. Esperemos que assim continue.
Este momento representa, para mim, um marco histórico, não porque o Sporting está em primeiro lugar, mas sim porque todos conseguimos de novo reerguer a força do leão. O normal seria este momento não ser histórico, mas a verdade é que o Sporting bateu tão fundo, que ficará em todos os registos o regresso do Sporting à competitividade e aos lugares merecidos. Parabéns ao Presidente BdC por conseguir em apenas 3 anos colocar o Sporting na rota dos títulos, conseguindo em tão pouco tempo colocar uma equipa que ficou em 7º lugar a ganhar uma Taça de Portugal e uma Supertaça. A juntar a estes dados o panorama da presente época acho que já podemos afirmar que é obra transformar em 3 anos um clube que “estava ali” para “líder absoluto”.

Esta jornada fica marcada pela liderança reforçada do Sporting.