Os dias passam e os rumores em torno da saída de Rui Patrício para o Nápoles vão subindo de tom. Uma situação que poderá deixar Jorge Jesus com um problema em mãos.

O guarda-redes, atualmente com 30 anos, é dono e senhor da baliza do Sporting há precisamente dez temporadas consecutivas e é, neste momento, o segundo jogador com mais partidas oficiais de leão ao peito: 465, estando a apenas dez do recorde de Hilário.

Dito isto, cabe perguntar: e depois de Rui Patrício, quem se segue? O mercado aparece de imediato como a opção mais lógica… mas e se, tal como o (ainda) guarda-redes do Sporting, o seu sucessor viesse de Alcochete?

Bem, nesse prisma são três as opções que, à partida, parecem melhor lançadas para vir a ocupar a baliza verde e branca.

Pedro Silva
Pela lógica, seria aquele que mais bem preparado estaria para suceder a Rui Patrício. Formado no Sporting de Lourel, chegou a Alcochete em 2009, com apenas 12 anos, tendo ‘escalado’ pelos vários escalões jovens do clube.

Em 2015, foi promovido à equipa B, que defendeu ao longo das duas últimas temporadas. No verão passado, mereceu a confiança de Jorge Jesus, que o incluiu na lista para o estágio na Suíça. Lá, realizou três jogos: foi suplente utilizado diante de Belenenses e Basileia, e titular na derrota por 2-3 frente ao Marselha.

Desde então, tem vindo a trabalhar mais com a equipa principal do que com os ‘bês’, sendo presença assídua nas convocatórias para as provas europeias. No entanto, sabe o Desporto ao Minuto, o futuro de Pedro Silva em Alvalade permanece em dúvida.

Vladimir Stojkovic
Sobrinho do também guarda-redes Vladimir Stojkovic, chegou a Alvalade em 2007, proveniente do Maia na mesma altura do que o tio. Desde então, tal como Pedro Silva – com quem partilha a idade – veio fazendo o seu percurso na formação verde e branca.

Foi alternativa a Pedro Silva nas duas últimas temporadas, na equipa B, tendo assumido a titularidade esta temporada, fruto da maior assiduidade de Pedro Silva junto do plantel principal.

Embora teoricamente parta atrás do colega de posição nesta corrida, até chegou à equipa A primeiro do que ele. Em 2014, tinha apenas 17 anos, suplente utilizado num encontro particular com o Feirense. Em 2016, também seguiu para estágio na Suíça, onde defrontou Nyon e PSV, ambos enquanto titular.

Luís Maximiano
É o mais novo dos três – tem apenas 19 anos – mas, sabe o Desporto ao Minuto, é aquele que mais expetativa gera no seio da estrutura do futebol verde e branco, numa perspetiva de futuro.

No currículo, conta já com um título europeu – pela seleção de sub-17, no Euro de 2016 – algo de que Pedro Silva e Vladimir Stojkovic não se podem gabar. No entanto, ao contrário dos concorrentes nunca foi utilizado na equipa principal.

Atualmente, defende a baliza dos juniores, cargo que foi intercalando com a equipa B, a qual representou por seis vezes esta temporada. O Sporting encara-o como o sucessor natural de Rui Patrício, ainda que, neste momento, possa estar algo ‘verde’ para agarrar a vaga.