Sousa Cintra lamenta, desde já, que os representantes do avançado nunca tenham mostrado disponibilidade para abordar a possibilidade de um retrocesso no processo de rescisão desenvolvido pelo jogador, após os incidentes de Alcochete.

Em entrevista à Renascença, o presidente da SAD do Sporting sublinha que fez “tudo o que era possível para ele regressasse”.

“Infelizmente, o pai nunca quis falar connosco e o empresário também não. Provavelmente vão estragar a carreira ao rapaz. Ele não tem nenhuma razão para rescindir com o Sporting. Deixou influenciar-se”, lamenta Sousa Cintra.

Ainda sem notificação oficial do contrato de cinco anos assinado e anunciado pelo Lille, o dirigente esclarece que tomará as medidas necessárias, na defesa dos interesses do Sporting. Os leões deverão avançar com pedido de indemnização para os tribunais.