Fernando Mendes, antigo jogador do Sporting e comentador desportivo na CMTV, revelou que depois da questão de boicote aos meios de comunicação sociais ter sido lançada por Bruno de Carvalho na Assembleia Geral, foi alvo de ameaças por parte de “fanáticos sportinguistas”.

“Começo a ser confrontado com alguns fanáticos sportinguistas a acusarem-me de que se continuar no programa sou um traidor. Isto custou-me. Jogo-me para o chão por aquele clube, jogo-me para o chão sei lá… porque é a minha convicção. É o meu clube, é o clube que eu adoro.

Recebi mensagens a chamarem-me traidor, Judas, se não sair da CMTV. Se me virem em Alvalade, dão-me um enxerto de porrada. Mas a que ponto isto chegou! Isto foi uma das coisas que falei ao presidente (na reunião com os comentadores afectos ao Clube).

O presidente diz que é do Sporting desde pequenino, eu sou do Sporting desde que nasci. O meu pai era sportinguista, a minha mãe era sportinguista e eu vesti aquela camisola, ao contrário de muita gente.

No encontro com os comentadores, o presidente disse que ‘não se acreditava que havia pessoas que fizessem isso’”.

Bem… os referidos “fanáticos” serão mesmo isso, mas, sobretudo, são arruaceiros cobardes. Que Fernando Mendes não pense que não tem companhia, porque nós aqui no Camarote Leonino há muito que somos alvo até de muito pior. Esses imbecis não nos incomodam, minimamente, salvo pelo trabalho de os dar ao desprezo que merecem.

Bruno de Carvalho que não seja hipócrita. Este modus operandi foi assumido pela sua falange sectária desde o primeiro dia, nada de novo, portanto. Ele que não venha agora com histórias que “não se acreditava que havia pessoas que fizessem isso”. A realidade é que ele tem conhecimento do que ocorre, sempre teve, e muito embora não lhe seja conveniente o admitir, até lhe agrada. Que tanto ele como a falange sectária pensem que chegam a algum lado por esta via, é deveras “fascinante”.