Luís Marques, antigo membro da Comissão de Gestão do Sporting, analisou em entrevista ao Jornal Económico a situação financeira do clube de Alvalade. O também jornalista recordou que quando chegou ao emblema leonino o futebol profissional tinha um custo de 73 milhões de euros.

“Só para termos uma ideia, quando entramos, o futebol do Sporting, entre técnicos e jogadores, tinha um custo de 73 milhões de euros, sendo que há quatro anos esses montantes rondaram os 30 milhões de euros. Foi duplicado o investimento. Havia 70 jogadores na folha de pagamentos do Sporting. Estando as nossas receitas anuais nos 100 milhões de euros, diga-se que o futebol levava uma fatia de 73% das receitas. Conseguimos baixar esses custos para 65 milhões de euros, o que aconteceu com a saída da equipa técnica de Jorge Jesus, que tinha um peso com alguma relevância”, referiu, antes de acrescentar:

“O Sporting tinha jogadores a mais e qualidade a menos. Como é possível ter 70 jogadores na folha de pagamentos e aproveitar 10% desses atletas para a primeira equipa? Há aqui um acumular de erros e visão estratégia que é flagrante que se reflete nos números e nos resultados desportivos.”

Luís Marques abordou ainda operação que o Sporting está a alinhar com a norte-americana Apollo e que vai fazer entrar 65 milhões de euros nos cofres do clube de Alvalade.

“Creio que é uma operação de risco, naturalmente. É motivada pelas circunstâncias de quem está numa situação que tem que tomar uma medida que, em condições normais, não se adotaria para resolver problemas. Antecipar receitas nunca é bom em qualquer empresa e também não será bom para o Sporting. E pelo que sei, esta operação com a Apollo ainda vem do tempo de Bruno de Carvalho. A medida em si tem riscos e mostra fragilidade mas gerir é isto mesmo. São necessários 65 milhões de euros e foi esta forma de conseguir chegar a esse montante”, salientou.

Luís Marques afirmou ainda na mesma entrevista ao Jornal Económico que não foi por falta de dinheiro que o Sporting não foi campeão nos últimos 18 anos, mas por incompetência.

“Não foi falta de dinheiro que o Sporting está há 18 anos sem ser campeão. Nos últimos quatro ou cinco anos, o Sporting comprou duzentos e tal jogadores. Portanto, só se pode concluir que foram feitas más opções. O que tem havido é incompetência. Entre os que foram comprados pelo clube, só Islam Slimani foi um excelente negócio para o Sporting. Temos tido excelentes treinadores mas quando isso acontece temos maus presidentes e ninguém consegue explicar este ciclo negativo”, finalizou.