Na assembleia geral realizada em Alvalade, o presidente Bruno de Carvalho aproveitou para deixar alguns recados internos e algumas mensagens dirigidas aos próprios adeptos do Sporting.

«Alguns sportinguistas não têm de facto noção dos tempos que estamos a atravessar. Ou remamos todos para o mesmo lado ou não estamos conscientes do que está a ser feito. Ter dentro do Sporting quem esteja a compactuar com este terrorismo é triste. Há sportinguistas que fazem o trabalho que os nossos rivais querem. Só falam é dos preços das nossas gameboxes, das entrevistas do presidente, dos vídeos do presidente…. Era mais fácil ser diferente, menos interventivo e menos defensor dos superiores interesses do clube. Os sportinguistas deviam começar a procurar outras críticas que não o estilo e a forma, se sou ou não mais ator ou teatral», afirmou o líder dos leões.

Bruno de Carvalho deu ainda o exemplo das modalidades para lançar um apelo aos sócios leoninos e relembrou o objetivo que ainda está por cumprir:

«Íamos fazer um forte investimento das modalidades e era fundamental termos 175 mil sócios pagantes. Não atingimos esse número. Esta época continuámos a fazer o investimento, mas na próxima época já não o poderemos fazer. Ou se mobilizam e gastam menos tempo no Facebook em vez de chamarem amigos par serem sócios do Sporting, vamos ser obrigados a fazer um corte substancial naquilo que é o orçamento das modalidades. Correspondam em tudo aquilo que tem sido o nosso esforço tremendo, em pegar num clube que estava à beira da falência e neste momento ser renhido ao ponto de perdemos contra o Barcelona com um autogolo. Há pouco tempo todos tremíamos se jogássemos com um clube dessa dimensão. Falta um objetivo importantíssimo: sermos campeões no futebol sénior masculino. Já o disse com um bom jogo e com um mau jogo: nada de euforias, nada de depressões».