Considerado um dos melhores jogadores do Mundo há mais de uma década, Pedro Gil regressou este ano a Portugal, motivado pelo convite do presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, com o objetivo de recolocar os leões no caminho dos títulos.

Com 14 golos marcados até ao momento e pelo menos um por jornada – inclusive no jogo contra o Paço de Arcos, que os leões perderiam na secretaria –, Gil garante estar feliz no regresso a um país onde diz sentir-se em casa: “Estou contente com o regresso. Vim para um grande com ambição de ganhar tudo. Foi por isso que escolhi o Sporting. É assim que quero continuar, porque sei que cada dia que passa é menos um dia que tenho. Quero desfrutar o hóquei ao máximo nível e o Sporting deu-me essa possibilidade”, admitiu o internacional espanhol de 36 anos, que não dúvidas sobre a valia do campeonato português. “Este campeonato é o melhor do Mundo com diferença para os outros. Há quatro equipas com nível espetacular e mais quatro a jogarem muito bem. No fundo, há oito formações que podem tirar pontos umas às outras e isso torna todos os jogos difíceis”, admitiu.

Depois de oito épocas (e muitos títulos) ao serviço do FC Porto, Gil admite estar a ser muito bem recebido pelos adeptos leoninos. “Sinto-me reconhecido por toda a gente e isso dá-me ainda mais vontade de trabalhar. Tenho sido acarinhado não só pelos adeptos do Sporting, como por todos os outros. Sinto-me em casa.”

E como é que se mantém no auge após tantos anos Com mais e mais trabalho. “Os anos pesam, mas trabalho e cuido-me ainda mais para manter o nível. É com esse pensamento que estou desde que cheguei ao Sporting”, confessou o espanhol, que garante ainda acreditar no títulos dos leões. “Enquanto há vida, há esperança. Faltam 15 jogos e muitos pontos por disputar.”Considerado um dos melhores jogadores do Mundo há mais de uma década, Pedro Gil regressou este ano a Portugal, motivado pelo convite do presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, com o objetivo de recolocar os leões no caminho dos títulos.

Com 14 golos marcados até ao momento e pelo menos um por jornada – inclusive no jogo contra o Paço de Arcos, que os leões perderiam na secretaria –, Gil garante estar feliz no regresso a um país onde diz sentir-se em casa: “Estou contente com o regresso. Vim para um grande com ambição de ganhar tudo. Foi por isso que escolhi o Sporting. É assim que quero continuar, porque sei que cada dia que passa é menos um dia que tenho. Quero desfrutar o hóquei ao máximo nível e o Sporting deu-me essa possibilidade”, admitiu o internacional espanhol de 36 anos, que não dúvidas sobre a valia do campeonato português. “Este campeonato é o melhor do Mundo com diferença para os outros. Há quatro equipas com nível espetacular e mais quatro a jogarem muito bem. No fundo, há oito formações que podem tirar pontos umas às outras e isso torna todos os jogos difíceis”, admitiu.

Depois de oito épocas (e muitos títulos) ao serviço do FC Porto, Gil admite estar a ser muito bem recebido pelos adeptos leoninos. “Sinto-me reconhecido por toda a gente e isso dá-me ainda mais vontade de trabalhar. Tenho sido acarinhado não só pelos adeptos do Sporting, como por todos os outros. Sinto-me em casa.”

E como é que se mantém no auge após tantos anos Com mais e mais trabalho. “Os anos pesam, mas trabalho e cuido-me ainda mais para manter o nível. É com esse pensamento que estou desde que cheguei ao Sporting”, confessou o espanhol, que garante ainda acreditar no títulos dos leões. “Enquanto há vida, há esperança. Faltam 15 jogos e muitos pontos por disputar.”