O presidente demissionário da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, Jaime Marta Soares, considerou hoje “uma ilegalidade” o processo eleitoral que está a ser liderado pela Comissão Transitória de MAG, nomeada pela direção de Bruno de Carvalho.

“Eu não abri nenhum ato eleitoral, e não podia receber candidaturas, porque só eu é que, efetivamente, tenho competência para isso. Não vou comentar ilegalidades”, disse Jaime Marta Soares à agência Lusa.

Hoje, a Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral (CTMAG) anunciou a receção de documentação de uma candidatura às eleições para a Mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar.

Num comunicado, a CTMAG refere que recebeu “a documentação relativa à candidatura ‘Feitos de Honra. Leais ao Sporting’, a qual concorre às eleições para a Mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar, que vão realizar-se no dia 21 de julho de 2018” e adianta que “de acordo com o regulamento eleitoral, procederá agora à análise de toda a documentação perante os requisitos exigidos”.

Esta comissão foi designada pelo Conselho Diretivo (CD) para substituir a Mesa da Assembleia Geral, uma vez que o elenco liderado por Bruno de Carvalho considera que a Mesa eleita, presidida por Jaime Marta Soares, cessou funções ao anunciar a intenção de se demitir em bloco.

A CTMAG informa ainda que recebeu na quarta-feira um requerimento assinado por sócios, que totalizam cerca de três mil votos, considerando inexistente a Assembleia Geral marcada para o dia 23 de junho pela Mesa eleita com o intuito de votar a destituição de Bruno de Carvalho.