José Eduardo reforça o apoio que manifestou a José Maria Ricciardi, há seis meses, nas eleições do Sporting. O banqueiro veio a público acenar com 200 milhões de euros e apelar à saída de Frederico Varandas. O antigo jogador dos leões considera que, apesar do pouco tempo de liderança, está na hora da mudança.

“As circunstâncias não se alteraram muito. Quando estamos doentes, vamos ao médico. Quando precisamos de dinheiro, temos de recorrer a uma entidade financeira, ou pedimos a amigos. O problema do Sporting era e é de saúde financeira e foi por isso que nos apresentámos a eleições. Mas os sócios não entenderam assim”, diz José Eduardo, que seria o líder de todo o futebol dos leões caso Riccardi tivesse ganho as eleições, em entrevista à Renascença.

O antigo campeão nacional com a camisola leonina admite a sua enorme tristeza por ver o Sporting em condições “muito difíceis”. Considera, assim, “natural que uma pessoa com a paixão que Ricciardi tem pelo clube, queira apresentar uma solução para o Sporting”, refere.

Sobre os atuais dirigentes, José Eduardo entende que “houve pessoas que se portaram muito mal e, ou se enganaram, ou enganaram os sócios de forma consciente”. “Um dia direi quem são, mas, por agora, não quero aprofundar mais a questão, porque não tenho medo da verdade, da realidade. O panorama atual é terrível e pede uma alteração estatutária e reflexão profunda dos sócios. Assim, seja com que dirigentes for, o caminho será cheio de pedras para o Sporting”, concluiu.