Miguel Luís, 19 anos, estreou-se esta época no plantel principal do Sporting e anteontem deu mais um passo rumo à afirmação no conjunto leonino, com o primeiro jogo a titular, tornando-se no segundo jovem da formação que já começou a deixar marca na luta por um lugar na equipa na presente temporada.

A intenção da nova direção de manter a aposta e de valorizar o produto made in Alcochete antecipa desde logo um cenário de renovação do médio, que neste momento está vinculado ao emblema de Alvalade até 2021, com mais duas épocas de opção.

O internacional português de sub-19 poderá seguir, assim, o mesmo caminho do extremo cabo-verdiano Jovane Cabral, que também ascendeu ao principal plantel dos leões em 2018/2019, igualmente chamado por José Peseiro – treinador que comandou a equipa no arranque da época desportiva, contratado pelo então presidente interino da SAD, Sousa Cintra, antes de ser despedido pelo atual líder dos verde e brancos, Frederico Varandas, que para o lugar optou pelo técnico holandês Marcel Keizer.

Embora ainda não tenha havido lugar a conversações formais com vista a uma renovação contratual, é esse o cenário mais forte neste caso – de resto, aquele com que foi brindado Jovane, blindado até junho de 2023 por cláusula de 60 milhões de euros.

Neste momento, Miguel Luís é o elemento do plantel sportinguista mais mal pago, com montante bem distante do auferido pelos restantes companheiros de equipa – recebe cerca de três mil euros líquidos mensais -, existindo perspetivas de uma melhoria das condições atualmente em vigor.