Bruno Jacinto, o oficial de ligação do Sporting aos adeptos do clube, suspeito de ter ajudado os membros da claque Juve Leo que invadiram a Academia do Sporting, em Alcochete, ficou em prisão preventiva.

A informação foi confirmada ao Notícias ao Minuto por uma fonte do Tribunal do Barreiro. Bruno Jacinto, que tinha sido detido esta terça-feira, fica assim sujeito à medida de coação mais grave.

Após mais de três horas de interrogatório, o juiz de instrução criminal do Tribunal do Barreiro, no distrito de Setúbal, justificou a aplicação da medida de coação de prisão preventiva a Bruno Jacinto, que à data dos incidentes em Alcochete era oficial de ligação aos adeptos, por considerar que existe perigo de fuga, de perturbação do inquérito e de continuação da atividade criminosa.

Detido na terça-feira, Bruno Jacinto está indiciado, entre outros, pela prática, em coautoria, de mais de 20 crimes de ameaça agravada, 12 crimes de ofensa à integridade, 20 crimes de sequestro e um crime de terrorismo.

O suspeito é o 38º detido, relacionado com o ataque a Alcochete, a ficar em prisão preventiva.

Todos os elementos estão a ser acusados dos crimes de terrorismo, associação criminosa e ofensas à integridade física pelas agressões aos jogadores e equipa técnica do Sporting a 15 de maio.