Mais do que voz de oposição, José Maria Ricciardi coloca-se como melhor alternativa para o Sporting e defende a saída de Frederico Varandas da presidência do clube. Em entrevista ao jornal “Record”, o banqueiro garante que tem 200 milhões de euros para injetar.

“Se esta direção tivesse um grande sportinguismo e elevação devia demitir-se. Eu acho que tem de ser o mais cedo possível “, apela. Ricciardi considera que Varandas “de futebol percebe bola”. “Candidatei-me porque percebi que Frederico Varandas não tinha capacidade para gerir o clube. O dr. Varandas deverá perceber de Medicina. De futebol, finanças e gestão percebe bola. Foi estagiar para a direção do Sporting”, observa.

O candidato derrotado às eleições do clube, há meio ano, explica, ainda, que não subscreveu o empréstimo obrigacionista lançado pela atual direção, porque esteve “em total desacordo com a maneira como foi gerido”. “Não subscrevo aquilo em que não acredito”, reforça.

200 milhões para injetar de imediato

O banqueiro considera ser a melhor solução para o Sporting e está disponível para se voltar a candidatar. Aliás, tem já um plano e garante a injeção de 200 milhões de euros. “Consegui reunir esses meios. Tenho os 200 milhões de euros para o Sporting. Neste momento não sou absolutamente nada, a não ser alternativa. Se os sócios entenderam que devo tomar conta do clube, garanto que tenho essa solução”, assegura, nestas declarações ao “Record”, revelando, somente, que os investidores que o apoiam são estrangeiros.

“Com este dinheiro proponho trazer um grande treinador, que já tenho apalavrado, e seis ou sete jogadores indiscutíveis”, anuncia.

Ricciardi defende, ainda, que a solução imediata para o Sporting, no plano financeiro, é “uma operação de fundo com investidores a comprar a dívida a desconto e ao VMOC. Investidores para entrar com capital também”. Já o empréstimo da norte-americana Apollo, que a direção atual pretende realizar, é “um péssimo negócio”. “Estamos a hipotecar o futuro sem dar nenhuma solução ao Sporting. Vamos pagar dívidas e salários e daqui a seis meses estamos exatamente na mesma”, resume.

A pergunta a Varandas: “Continua a dormir bem?”

Na avaliação que faz à gestão de Frederico Varandas, que classifica como desastrosa, José Maria Ricciardi questiona o investimento de dez milhões de euros realizado em janeiro.

“Um clube que não paga um único jogador para trás, que tem prestações em atraso com o Vitória de Guimarães, o Sporting de Braga, o Racing. Só os empresário todos juntos são quase 25 milhões de euros. Um clube destes vai contratar e gastar mais de dez milhões de euros? Quando não tem um tostão!? Isso só comprova aquilo que estou a dizer. Infelizmente, não me enganei sobre o que disse na campanha eleitoral e repeti passado um mês, apesar de toda a gente ter ficado muito incomodada. E nessa altura o dr. Varandas respondeu que problemas financeiros era para o lado que dormia melhor. Agora pergunto-lhe diretamente: continua a dormir bem? Parece-me que não”, conclui.

Ricciardi recorda o aviso feito para os problemas que a futura direção iria encontrar. “O problema é que eles diziam que não havia herança nenhuma, que estava tudo lindamente. Até fui chamado de mentiroso por Artur Torres Pereira”, lembra.