O diretor de comunicação do Sporting, Nuno Saraiva, elogiou o facto de o Conselho de Arbitragem (CA) ter admitido erro da equipa de arbitragem no golo anulado a Doumbia, mas pediu que se passe aos “atos”.

No Facebook, o “homem-forte” da comunicação leonina salientou o “ato de contrição” público do CA, pelo “erro colossal”, destacando que, embora “muitos” digam “que não muda nada”, a atitude do CA “não pode deixar de ser registada e enaltecida porque, desde logo, significa um exercício raro de honestidade intelectual e de coragem para reconhecer um erro”.

A grande “questão que se coloca”, para Nuno Saraiva, é perceber se o CA “vai passar das palavras bonitas aos atos que se impõe”. O dirigente verde e branco pede consequências reais para a equipa de arbitragem liderada por Luís Ferreira e pelo videoárbitro Manuel Oliveira.

“Em qualquer empresa ou organização, serve de pouco ter uma liderança competente quando, abaixo de si, o quadro técnico é incompetente. Em qualquer empresa ou organização, aquilo que se exige são padrões de excelência e quem não os cumprir tem que ser afastado. Quando as direções não agem desta forma, acabam por ser elas, mais cedo ou mais tarde, a pagar a factura da incompetência”, escreveu Nuno Saraiva.