Francisco Salgado Zenha, vice-presidente do Conselho Diretivo para a área financeira e administrador da SAD, diz que o clube de Alvalade não tem qualquer intenção de vender os principais jogadores do plantel. Em entrevista à SportingTV, o dirigente leonino só admite a venda de jogadores importantes por propostas irrecusáveis:

“Vamos manter os nossos principais ativos, mas não consigo prever o futuro. Se recebermos propostas irrecusáveis, teremos de ponderar, como é natural”, começou por dizer.

O vice-presidente do Sporting anunciou ainda o objetivo de continuar a reduzir a folha salarial do clube, algo que já foi feito em janeiro, com a saída de jogadores como Nani, Marcelo, Viviano, Bruno César e Fredy Montero:

“Queremos reduzir a massa salarial, já o fizemos em janeiro com a redução de cerca de 10 milhões de euros. Acreditamos que o podemos continuar a fazer, com facilidade, sem tocar nos principais jogadores do plantel, e a manter a competitividade. No verão, deveremos fazer mais um acerto ou outro”.

Acordo com fundo “confidencial” e para “reduzir outros passivos”

Salgado Zenha falou ainda sobre o acordo com um fundo norte-americano para o encaixe financeiro de 65 milhões. O nome do fundo “Apollo” não foi referido pelo dirigente leonino, que recorda a confidencialidade do mesmo:

“Os nossos concorrentes já fizeram transações semelhantes e nunca o comunicaram. Ninguém teve este interesse na altura. Não se esmiuça este tipo de informação, que é confidencial, em praça pública. É confidencial e assim se vai manter”.

O pagamento de outras dívidas é o principal objetivo dos 65 milhões de euros de receita antecipada: “O uso destes fundos é essencialmente para reduzir outros passivos. Quando chegamos, as necessidades de tesouraria de fornecedores era muito alta. Vamos usar este dinheiro para pagar dívidas que temos com fornecedores”.