Depois do nulo em Alvalade, o Sporting tinha de vencer ou empatar com golos. Fez melhor que isso. Com uma “manita” inapelável, cortesia de Doumbia, Acuña, Gelson Martins, Bas Dost e Battaglia, os leões humilharam o Steaua e selaram o apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões.

O Sporting goleou, sem apelo nem agravo, um frágil Steaua Bucareste, por 5-1. A verdade é que os romenos nunca foram mais do que isto, pelo que a “manita” é o resultado natural, face à enorme superioridade da equipa de Jorge Jesus, deixando a descoberto a má exibição da primeira mão.

Os leões pressionaram, jogaram, criaram. Fosse em ataque organizado ou em transições rápidas, só uma equipa tinha o comando da partida, pelo que o golo inaugural de Doumbia foi, pura e simplesmente, consequência natural do que se ia passando em campo. Uma desatenção custou o golo do Steaua. Na segunda parte, após uns minutos iniciais do Steaua, o Sporting retomou as rédeas e partiu para uma exibição inesquecível. Com dois golos seguidos, em contra-ataque, os leões “mataram” a eliminatória e, com a entrada de Bas Dost, a vitória engordou.

Destaque claro para Bruno Fernandes, que foi, de forma indiscutível, o homem do jogo, com uma exibição de classe, magia, controlo, condução, passe, visão de jogo, recuperação, ocupação de espaços, temporização e uma cultura táctica acima do normal para a realidade portuguesa. É o maestro deste Sporting.

O leão tem agora a certeza de que é uma das 32 equipas da milionária liga e até já vai saber o que enfrenta na UEFA até dezembro.