A equipa de voleibol do Sporting apresentou-se hoje com ambição para o regresso à modalidade, 22 anos depois da extinção, embora o treinador Hugo Silva e o capitão Miguel Maia admitam que o clube parte atrás dos rivais nesta época.

Com 13 dos 14 atletas do plantel presentes – a exceção foi Afonso Reis, ao serviço da seleção de voleibol de praia -, os ‘leões’ prometem “atitude e compromisso” para com os objetivos do clube e manifestaram a sua confiança de discutir as provas nacionais com Benfica, Sporting de Espinho e Fonte do Bastardo.

“Estamos bem atrás dos outros, porque somos uma estrutura nova. Dizer ‘chegar, ver e vencer’ seria uma falta de respeito para com os outros clubes, que têm outras exigências e obrigações que nós não temos. Só digo para não se distraírem porque nós vamos aproveitar as oportunidades”, declarou o técnico.

Ao lado do treinador do Sporting esteve o capitão Miguel Maia, que está de regresso ao clube no qual jogou enquanto jovem, tendo sublinhado a sua determinação de responder às dúvidas sobre a efetividade dos seus 46 anos.

“Tenho de trabalhar bem. Obviamente tenho de olhar para a idade que tenho, porque tenho muitos olhos em cima de mim. Estou aqui porque fui escolhido pela equipa técnica e agora tenho de responder como os meus colegas. Nada me foi dado. Tenho uma carreira e um nome a defender e é para isso que irei estar de corpo e alma neste projeto” assegurou.

O histórico jogador português lembrou que o regresso do Sporting “vai acrescentar muito à modalidade”, vincando o histórico de conquistas do clube no passado. Por outro lado, o ‘distribuidor’ enalteceu o plantel “competente” e que “vai dar tudo” para conseguir corresponder às elevadas expectativas do presidente, Bruno de Carvalho.

“Toda a gente conhece o perfil do presidente e ele quer que toda a gente ganhe. No Sporting jogamos sempre para ganhar e é isso que vamos fazer. Não prometemos títulos, mas ambicionamos chegar lá. Não há milagres no desporto. Com trabalho, afinco, vontade e compromisso, acho que temos todas as condições para chegar aos últimos jogos.”

A condição de veterano não é um exclusivo de Miguel Maia, já que o plantel do Sporting destaca-se pela experiência da maioria dos atletas. Contudo, o técnico Hugo Silva garantiu que a equipa será capaz de triunfar, por força da identificação dos jogadores com a equipa técnica e o projeto do clube.

“O que caracteriza a equipa é ela identificar-se com a nossa filosofia e a minha forma de estar. Houve cuidado a escolher estes atletas. Já ouvi comentários de que somos uma equipa velha e que não vamos conseguir nada, mas a nossa resposta vai ser dentro de campo e vamos provar a toda a gente que esta equipa tem potencial”, frisou.

Neste regresso à modalidade, o Sporting vai treinar a norte, tendo estabelecido um protocolo com Santa Maria da Feira, onde irá treinar durante a semana, e depois irá competir ao fim de semana no Pavilhão João Rocha, em Lisboa. Sobre este facto, Hugo Silva recusou que seja uma desvantagem.

“Só um clube com a dimensão do Sporting poderia fazer um projeto com estas características. É um clube nacional e foi uma ideia muito inteligente. Tendo tantos sócios perto de nós, penso que é o melhor conforto para qualquer atleta ou treinador. A questão da adaptação vai passar ao lado”, finalizou.